quarta-feira, maio 31, 2017

Postais antigos desenhados e pintados à mão




Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções

quinta-feira, maio 04, 2017

Fabrico de palitos


Postal de Coimbra em que se vê ilustrado o fabrico de palitos, actividade muito importante na zona tendo ocupado grande número de famílias.
Postal circulado em 1919. Edição de Godinho de Mattos - Papelaria Academica.

Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções




sábado, abril 29, 2017

Lotaria portuguesa



Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções

quinta-feira, março 16, 2017

Vinhetas do Turismo de Portugal



Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções

quarta-feira, março 15, 2017

Ach. Brito e Claus Porto


Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

Bom Carnaval


Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções

quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Deita gatos

O que fazia o deita gatos? Consertava louça quebrada por meio de gatos de arame.

Esta atividade ficou registada neste postal de um deita gatos de Lisboa (postal circulado em 1904, o nº4, da série "Typos das ruas" de Edição A.Martins).

Também Fernando Pessoa aludiu a esta atividade num bonito poema:


Ó rapaz que deita gatos,
Deitas gatos só em pratos,
Só em tachos e tigelas,
Ou deitas gatos também
Nas almas e no que há nelas
Que as quebra em mal e em bem?


Ah, se, por qualquer magia,
As tuas artes subissem
Àquela melhor mestria
De pôr gatos que se vissem
Nesta alma que se quebrou
No que sonho e no que sou!


Então...Qual então! Que tratos
Dei a um poema que surgiu!
Só consertas, só pões gatos
No inteiro que se partiu.
O que partido nasceu
Nem tu consertas nem eu.


Fernando Pessoa

Para informações acerca de disponibilidade e preço dos produtos, contacte-nos para : collectus@gmail.com
Visite-nos no Facebook em: Collectus- Loja de Colecções